terça-feira, 21 de novembro de 2017

Respeito aos Genitais

Vamos agora a um assunto que pode ser extremamente incomodo para a grande maioria das pessoas condicionadas a acreditar que sexo é pecado, mas que é um assunto da mais alta importância para aqueles que adoram sexo.  Esta também é a visão de alguém que sempre soube ter uma visão pessoal do assunto "fora da caixa", de alguém que sempre viu essa parte do corpo como não só um "Portal" para o prazer e para a criação da vida, algo sagrado, mas também algo a ser visto com total respeito, amor e carinho: estou falando sobre os genitais humanos.

A sociedade, guiada pela influência direta da igreja e da idéia do "Pecado Original", convencionou de tratar os genitais como algo sujo, afinal de contas as secreções humanas sempre foram tratadas de forma inapropriada, sempre com o cunho de ser algo nojento, anti-higiênico e impróprio.  Tirando as formas que o corpo humano se utiliza para eliminar os subprodutos do processamento digestivo de líquidos e sólidos, que de fato constituem algo a ser descartado, todo os outros tipos de secreção provenientes dos genitais ficaram automaticamente associados a algo sujo e anti-higiênico.

No entanto, é através do esperma proveniente do pênis masculino que os espermatozóides responsáveis pela inseminação do óvulo feminino são conduzidos, e uma nova vida física é formada da junção de um espermatozóide com o óvulo, formando o ovo que se fixa na parede uterina, dando início a uma nova gravidez que irá desenvolver um corpo humano.  Se analisarmos isso de forma mais consciente, já que estamos tratando da geração de uma nova vida biológica, estamos tratando de um conjunto de substâncias e processos que deveriam ser considerados de ordem sagrada, do mais elevado processo de procriação Divina!


Assim sendo, talvez seja hora de reconsiderarmos uma série de conceitos ilógicos e passarmos a ver não só o esperma masculino, mas também as secreções que são produzidas pela vagina feminina, seja de ordem ejaculatória (Pois é!  Para quem ainda não sabe, ou ainda não conseguiu experimentar, a mulher é capaz de ejacular também!) ou simplesmente de lubrificação.

Particularmente, eu sempre vi a capacidade de se relacionar sexualmente dos seres humanos como algo espetacular e lindo!  Sei que muitos ainda poderiam questionar isso, mas eu sempre considerei o sexo uma expressão de Amor, assim como pode ser um beijo na boca, uma carícia no rosto, o entrelaçamento dos dedos das mãos, o abraço integral onde todas as partes do corpo se tocam, havendo uma transferência energética de cada chacra, do cardíaco ao sexual, talvez até envolvendo os chacras superiores e inferiores.  Se formos considerar um momento de penetração de um genital masculino em um genital feminino, em um relacionamento de Amor pleno e incondicional, então teremos literalmente uma ligação de todos os chacras, de acordo com o que nos mostra a filosofia Tântrica, ocorrendo a troca e a integração energética máxima entre dois seres, durante o ato sexual.  No caso de uma relação homossexual, isso poderia se dar através do sexo oral, ou até mesmo do sexo anal, no caso dos homens.

Como podem ver, considerando todos esses pontos, somos forçados a admitir o quanto possuímos uma altíssima expressão do Sagrado entre nossas pernas.  Entendem agora porque resolveram tratar do sexo como algo proibido?  Sim, estamos falando de uma expressão Divina!

Devido à necessidade de integração com a sociedade, eu tenho que admitir que tive momentos de dúvida, de verdadeiramente aceitar a idéia de ser algo errado e degradante.  Muita gente ainda hoje, não só passa por isso, como pode até abraçar a idéia por completo e ter verdadeira repulsa por sexo!  Mas, considerando que já discuti esse tema antes, não vou entrar no mérito.

O fato é que agora é hora de começarmos a tratar nossos genitais com todo o respeito e admiração que eles merecem, pois estamos tratando de expressões Divinas que até mesmo muitos seres extraterrestres almejam desfrutar!  Muitos nos invejam por termos essa capacidade de nos reproduzirmos sexualmente, na mais pura expressão do Amor Universal.  Portanto, precisamos rever nossos conceitos com relação a nossos próprios genitais.

Claro que um homem que faça uso de medicamentos para induzir uma ereção artificial por horas a fio não está demonstrando verdadeiramente respeito, ou mesmo Amor, pelo seu genital, haja visto que se essa ereção durar mais do que 48 horas, o risco do sangue coagular dentro dos corpos cavernosos que garantem a ereção do membro é muito grande, e ele pode vir a ter que amputar o pênis.  Entendem o que quero dizer?  O pênis precisa dos períodos de descanso dele, em que ele perde a ereção.  O estado natural de um pênis é mesmo flácido e mole, e isso deve ser respeitado.  Se um homem se presa a ter respeito e verdadeiro Amor pelo seu corpo e seu genital, ele vai entender isso.  Além do mais, se relacionar sexualmente não se resume a penetrar o pênis na vagina de uma mulher.  Como será abordado mais adiante, é necessário explorar uma sexualidade onde o toque seja melhor explorado, dando mais ênfase às sensações provocadas por esse toque ao longo de toda a extensão do corpo, e não somente no genital.

No caso das mulheres, é importante considerar que ter respeito e Amor pelo seu genital não se resume a freqüentar regularmente um ginecologista, para ter certeza de que está tudo bem.  Claro que isso faz parte, mas quando digo de ter Amor pelo seu genital, eu me refiro a adotar o hábito (E que seja mesmo um hábito!) de se masturbar, mas não só isso.  É interessante criar uma certa intimidade com seu genital, sem constrangimentos, de ver como ela se comporta diante de determinados tipos de toque, que tipo de sensação pode ser provocada ao se tocar diferentes pontos do genital, observar as secreções que são produzidas, de que forma essas secreções podem ser produzidas.  Pode também fazer uso de um pequeno espelho para poder observar os detalhes da sua vagina.  Na verdade, é interessante observar as reações do corpo todo durante uma masturbação, mas não tenham pressa de chegar ao orgasmo.  Na medida do possível, vá adiando isso e observe as diferentes sensações que isso pode produzir.  Corre o risco de perceber que um sentimento duradouro de êxtase terá um efeito mais poderoso do que um orgasmo momentâneo! 

Tudo bem, uma mulher pode ter orgasmos múltiplos!  Mas experimente segurar esse ímpeto e simplesmente "saborear" esse toque...  Vai entender o que estou dizendo!

Existe uma beleza singular em nossos genitais, seja masculino ou feminino.  E existe também uma certa similaridade entre eles, o que torna tudo muito mais interessante e intrigante.  Quem tiver essa curiosidade, observe o quanto um clitóris é uma versão em miniatura de um pênis, só que com uma quantidade muito maior de terminações nervosas, o que o torna muito mais sensível ao toque.  Observe o quanto os pequenos lábios da vagina lembram o saco escrotal onde estão alojados os testículos do homem, só que vazios!  No caso do homem, é interessante observar a "costura" que existe logo abaixo do saco escrotal, indicando onde estaria posicionada a entrada da vagina feminina, só que o tal do "cromossomo Y" cuida de fechar.

Quem conseguir ir além dos preconceitos e explorar à fundo a sensibilidade ao toque, não só dos genitais, mas do corpo todo, irá notar com o tempo que alguns estímulos aplicados aos genitais femininos de forma delicada e leve, podem provocar excitação e ereção também em um pênis.  Uma sexualidade sadia deve estar preferencialmente centrada no toque e nas sensações que isso possa produzir, sempre aproveitando tudo de forma relaxada e meditativa.  Qualquer genital, quando acariciado com muito Amor e carinho, irá responder positivamente.  Na verdade, é possível produzir um orgasmo poderoso em um pênis masculino se utilizando pura e simplesmente de toques sutis em determinados pontos mais sensíveis, desde que se tenha a pré-disposição de encontrar esses pontos.

Nossos corpos, em cerca de 88% de sua constituição, são absolutamente iguais.  As únicas diferenças são mesmo os genitais e o desenvolvimento de mamas nas mulheres, muito embora os homens também possuam a estrutura para tal.  A natureza é algo verdadeiramente impressionante!  Ou eu deveria dizer que essa tecnologia biológica extraterrestre nossa é que é incrível?!  Não importa.  O que importa é que temos as duas polaridades, Masculino e Feminino, em todos nós, e agora é hora de explorarmos isso sem preconceitos e sem constrangimento.

Existe uma beleza intrínseca nisso tudo, e é tudo Divinamente belo!

Muitos consideram o Sexo Oral a forma mais íntima de se relacionar sexualmente.  Até mais do que o beijo na boca!  E eu tenho que concordar.  Claro que a penetração nos faz sentir conectados a alguém, e isso em si é uma sensação incrível.  Mas o Sexo Oral é como beijar um Portal de Criação Divino, uma verdadeira expressão de Amor Incondicional que pode ser dedicado à pessoa que se ama.  Eu admiro muito a pessoa que é capaz de expressar esse tipo de carinho a um genital, pois os nossos genitais merecem serem acariciados, idolatrados e apreciados livremente.


Por último, quero apenas acrescentar que o que foi discutido aqui, embora considere a sacralidade dos genitais sob o ponto de vista da reprodução física, também se aplica às relações sexuais entre seres do mesmo sexo.  O respeito pelo corpo e pelos genitais dos parceiros também se aplica na situação de uma relação homossexual, seja entre dois homens ou entre duas mulheres, e a capacidade de se relacionarem tantricamente também está presente, da mesma forma.  Só o que importa, e o que realmente faz a diferença, é que haja legítimo Amor Incondicional entre eles.


quinta-feira, 2 de novembro de 2017

Masturbação e Meditação

Vamos nos aprofundar agora nesse que tem sido um dos temas mais polêmicos de todos os tempos.

Muitos ainda poderão se perguntar de que forma se pode haver essa associação entre Masturbação e Meditação, duas coisas que teoricamente não casam.  Mas eu vou mostrar que podem casar perfeitamente!

Antes mesmo de entrar efetivamente nesse assunto, é importante analisar o quanto a sexualidade humana se tornou desequilibrada com o advento da pornografia.  Como já analisei em textos anteriores, não é dizer que a pornografia seja algo que não tenha a sua utilidade e que não possa ser usada para ajudar, ao invés de "desestabilizar" todo o universo da sexualidade humana.  Mas o fato é que, ao longo desses anos, a pornografia tornou-se uma ferramenta de manipulação, muito mais do que uma ferramenta de esclarecimento e ajuda.


Nina Hartley tornou-se mundialmente conhecida pelos seus vídeos tutoriais "Guide to", ensinando novas formas de como se relacionar sexualmente, ensinando as melhores formas de praticar sexo oral, sexo anal, sexo à três, swing, tudo sempre destacando a importância de se ter muito respeito com seu parceiro e que tudo isso deveria ser praticado com consentimento e cumplicidade, desde que os parceiros se sentissem confiantes em experimentar tais variações sexuais.

A década de 80 foi marcada por uma geração "pré-viagra" que tinha a preocupação de mostrar à sociedade que sexo poderia ser algo muito mais divertido e prazeroso.  Infelizmente, com o passar do tempo, e o advento das doenças sexualmente transmissíveis, isso precisou ser revisto.  A pornografia procurou ensinar as pessoas a se protegerem, fazendo uso de camisinha de látex para se protegerem e assim se divertir sexualmente de uma forma mais responsável.

Conforme essa atividade foi se tornando mais "corporativa" e menos amadora, a coisa foi mudando de figura, e ela adquiriu contornos mais "manipulativos", voltados muito mais para o lucro fácil, do que propriamente para algo "à serviço da sociedade".

Na Era "pós-viagra", a coisa começou a se tornar mais "espetacular".  De repente parecia que se relacionar sexualmente era algo quase impossível para os pobres mortais.  E a coisa toda foi se tornando mais malabarística, mais agressiva, menos respeitosa, muito menos preocupada em ajudar e tornar a sexualidade mais prazerosa.  Foi tudo se tornando mais estúpido, mais inacreditável, mais grosseiro, muito mais arriscado.

Então vocês poderão perguntar: mas o que isso tudo tem a ver com Masturbação, ou mesmo com Meditação?  Com Meditação, nada!  Mas com Masturbação, tudo!

Infelizmente, para a grande maioria dos adolescentes em fase de desenvolvimento hormonal e sexual, a pornografia sempre constituiu a principal fonte de informações, já que os pais sempre só se preocuparam de dizer aos filhos sobre as precauções que eles deveriam tomar para não contrair doenças, e nunca entraram em uma conversa plena sobre sexualidade de forma mais abrangente.  Até porque, eles próprios vinham de educações sexuais repressoras, portanto para a grande maioria dos pais, falar sobre sexo sempre foi algo altamente constrangedor.

O modelo de masturbação tradicional sempre esteve condicionado a se fazer uso de estimulantes eróticos, como filmes pornôs, revistas masculinas com mulheres nuas e coisas do gênero.  E para o adolescente sem maiores instruções de um adulto mais amadurecido e pronto a lhe dar uma informação de melhor qualidade, os filmes pornográficos sempre constituíram o padrão comportamental sexual.

Portanto, para a geração "pós-viagra", isso gerou enormes distorções, até porque, ao se assistir a esses filmes mais "sensacionais e malabarísticos", se relacionar sexualmente parecia ser uma missão quase impossível!

Mas de que forma isso afetou nossos hábitos masturbatórios?

Um filme pornográfico possui uma carga erótica monstruosa, um poder de excitação que é hipnótico e viciante, como uma droga alucinógena.  Para um adolescente em idade de formação de caráter e fisiologia, isso tem um efeito devastador e destrutivo.  Por isso temos hoje tantos casos de homens que sofrem de ejaculação precoce, disfunções eréteis, anorgasmia, entre outras disfunções geradas pela exposição ao vício em pornografia.  Sem contar aqueles que simplesmente resolvem se entregar ao vício, e simplesmente não se relacionam sexualmente com outro parceiro ou parceira.

A verdade é que, quando uma pessoa se masturba usando um estimulante sexual visual como esses, ela torna o ato totalmente mecânico, onde o genital pode até mesmo se tornar insensível ao estímulo manual ao longo do tempo, gerando até mesmo problemas maiores dos que os problemas relatados anteriormente.  A pessoa não está focada propriamente no prazer do seu próprio corpo, mas sim em dar um alívio à carga excitatória provocada por aquele estímulo sexual, gerado pela pornografia.

É nesse ponto que o tantra vem a propor uma forma "reeducativa" de masturbação, onde essa excitação será buscada em seu próprio corpo, e não em estímulos eróticos externos.

O corpo nu, conforme abordado em textos anteriores, pode ser uma fonte de estímulo sexual, se conseguirmos equilibrar nossas energias masculina e feminina, transpor os preconceitos injetados em nossa cabeça pela sociedade, e perdermos o pudor de admirar nosso corpo nu.  Além disso, ao focarmos nossa atenção em nosso corpo e criar o hábito de "se relacionar" sexualmente consigo mesmo, como poderíamos nos relacionar com uma pessoa externa, estamos nos abrindo a sentir todas as sensações de nosso próprio toque, e é à partir de se abrir para sentir que transformamos o ato da masturbação em uma atividade meditativa.


Conseguem agora perceber a associação?  Esqueçam-se de tudo, crie um ambiente íntimo e agradável para si mesmo.  Deixe o ambiente à meia luz, use uma música relaxante se assim desejar.  Pode até mesmo fazer uso de incenso para trabalhar odores mais agradáveis e relaxantes.  Tudo para deixar o ambiente mais leve, e com uma energia mais suave.  Então retire toda a sua roupa, posicione-se confortavelmente na cama, no sofá, ou mesmo de pé e passe a explorar toda... Eu disse TODA!  A extensão do seu corpo.  Não se restrinja aos genitais.  Considere que toda a extensão da sua pele é um enorme genital a ser explorado.  Dessa forma você estará se abrindo a formas de orgasmo que você jamais imaginou serem possíveis.

Por fim, toque seus genitais.  Seja gentil com ele/ela.  Não tenha pressa de se excitar, apenas toque-se.  Aos poucos você perceberá que seu genital irá sempre responder ao toque sutil e carinhoso de suas mãos, sem a necessidade de fazer uso de medicamentos que provoquem ereção.  Mas toque-se com gentileza, sem pressa.  Passe a uma massagem lenta e carinhosa.  Não tenha pressa de chegar ao clímax!  Aproveite o tempo.  Viva a experiência!  Isso é fazer Amor consigo mesmo.  A meditação encontra-se em observar as sensações que isso tudo provoca, em se conhecer e se abrir a sentir.  O prazer vai ser tanto que você não conseguirá pensar em outra coisa!

Com o tempo, e com o hábito, você perceberá que seu corpo começa a desenvolver uma sensibilidade que você nunca pensou ser possível ser desenvolvida.  Você se abrirá para novos e até mais intensos níveis de prazer.  E sua vida sexual se tornará mais plena e satisfatória.


Ninguém precisa de filmes pornográficos para fazer Amor consigo mesmo!  Liberte-se disso.


segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Amor X Tesão

Vimos no texto anterior a importância da nossa espiritualização em nossa atividade sexual, haja visto que somos consciências Divinas vivendo uma experiência na carne.  Logo, não nos cabe basear nossa sexualidade toda em expressões de impulso e instinto.  Não somos simples animais acasalando para simples procriação, embora muitos ainda insistam em acreditar que sim.  E nem mesmo devemos viver desperdiçando nossa energia sexual em relações vazias e sem envolvimento.

Em plena Era do Sexo Casual, parece uma besteira tratar do Sexo sob uma ótica espiritualizada e amorosa.  Mas o grande problema disso não está no Amor em si, mas a forma que convencionamos acreditar nele.  Não é o Amor que é errado, pois isso constitui nossa essência primordial, por mais que se rejeite essa energia criativa Divina que existe dentro de todos nós.


O Amor, muito mais do que um sentimento, trata-se de uma energia formadora.  É o Amor que une nossas células e mantêm a unidade de nossos organismos vivos.  É o Amor que forma todos os sistemas solares, todas as galáxias, todas as nebulosas.  É o Amor que junta um espermatozóide a um óvulo, e à partir disso desenvolve todas as estruturas biológicas que constituem nossos corpos de carne!

É o Amor que cria novas consciências, dentro de relacionamentos que sejam baseados nessa energia sagrada.

Portanto, o que precisa ser feito para termos uma sexualidade mais plena e satisfatória não é excluir o Amor de nossa sexualidade, mas sim rever nossos conceitos sobre isso!

Principalmente, devemos aprender o que significa Amor Incondicional.

Para muitos, isso parece ser algo inconcebível.  Fomos criados dentro de um conceito de segurança pessoal, de separação absoluta.  Fomos criados por nossos pais a nos isolarmos uns dos outros, sempre desconfiando um do outro.  Ao contrário do conceito de Justiça pregado, somos levados a considerar que todos são "Culpados" até que seja provada sua Inocência.  E mesmo depois de termos provado essa inocência, basta que alguém lance um pingo de desconfiança, que seja uma fofoca criada, para deixarmos de acreditar na "Inocência" daquela pessoa.  Não importa quantos acertos aquela pessoa teve conosco, basta um erro para colocar tudo a perder!  Tenho certeza que muitos entendem o que digo.

E mesmo depois dessas "Decepções", isso só nos leva a criar uma parede de proteção a nossa volta cada vez mais alta e fechada.  O mundo é cruel, as pessoas são perigosas!  Todos são mentirosos, assassinos, ladrões, fofoqueiros, invejosos...

São os pais, no geral, que semeiam as sementes da discórdia e da desconfiança.  Isso começa mesmo de muito cedo.  E, para evitar maiores danos, colocamos a culpa disso sempre em coisas externas, nunca nas pessoas!  E por isso convencionou-se a acreditar que o Amor era o culpado disso.  No entanto, esse "amor", com um a minúsculo, não é a energia propriamente dita, mas uma criação nossa.  Convencionamos de acreditar que, assim como possuímos carros, casas, televisões, geladeiras, também deveríamos possuir pessoas!  Foi nessa que o "Casamento" apareceu, para instituir e documentar essa "posse".

E então, passou-se a acreditar que o amor deveria ser excluído, pois provocava sérios danos psicológicos.  Basta nos relacionarmos sexualmente de forma instintiva, como animais no cio!

Bom, isso já foi falado em textos anteriores.  Todo esse conceito de "amor" equivocado nunca nos ajudou.

Mas vamos ao Amor Incondicional!  Como o próprio nome já diz: sem condições, sem exigências.  Simplesmente algo que se entrega de forma espontânea.  Afinal de contas, ninguém nunca deixou de amar seus filhos, mesmo considerando que estes tenham cometido sérios crimes, ou mesmo abandonado seus pais.  Ninguém deixa de amar seus filhos!  E é desse tipo de Amor que estou me referindo, pois é a nossa essência, é a energia que nos forma em ação.

Mas o grande problema não está em como Amar uma pessoa que comete muitos erros, como aceitar uma pessoa dessas.  O problema está em nos esquecermos de nos amarmos, primeiramente!

Isso também já foi discutido em textos anteriores, a enorme importância de se Amar, antes de Amar qualquer outra pessoa, seja do sexo oposto ou do mesmo sexo.

E acreditem, isso faz TODA a diferença!

Quando nos amamos, é certo que não deixaremos qualquer um se aproximar de nós.  Até porque, quando nos amamos de verdade, não tememos a solidão!  Nos sentimos bem sozinhos, apreciamos nossa própria companhia, nos divertirmos por conta própria, até podemos fazer Amor com nosso próprio corpo, sem ter a necessidade de um parceiro!  Já falamos também da importância da masturbação em nossa vida.  É a nossa primeira e mais importante forma de se relacionar sexualmente.

Mas quando nos amamos de forma total e sincera, o magnetismo que é gerado em nosso centro cardíaco é tão grande, que isso leva a atrair outras pessoas.  E se a pessoa for suficientemente auto-confiante a ponto de não temer se expressar e ser quem ela realmente É, ela vai atrair pessoas semelhantes a ela.  E é nisso que o verdadeiro Amor nasce! 

Pois o Amor, esse com A maiúsculo, não aprisiona.  Pelo contrário, ele respeita primeiramente a liberdade da pessoa amada, pois tem a consciência que a beleza do canto de um pássaro está na sua liberdade de voar para onde quer que pretenda ir, e não em prendê-lo em uma gaiola.  Esse canto se torna um canto de lamento, e não de celebração da vida.

A energia amorosa, essa que respeita a liberdade de cada um, proporciona um nível de atração e carinho muito mais poderoso do que a energia instintiva animal básica.  A pessoa que se sente amada de verdade, em sua totalidade e em sua liberdade de ir e vir, nunca vai embora, porque sabe que ela tem tudo que mais precisa naquele relacionamento, porque é um relacionamento que motiva, que fortalece, que confia, que nos impulsiona a vôos cada vez mais altos.

E não devemos deixar de considerar que estamos falando de seres que possuem suas energias masculina e feminina reconhecidas e equilibradas!  Isso é o mais importante a ser considerado, se desejamos assumir um relacionamento pleno desses.  Devemos ter a consciência de que precisamos ter nossas energias masculina e feminina, que estão presentes em todos nós, pois somos seres inteiros e não metades, perfeitamente aceitos e equilibrados.  Por isso estamos vivendo em um período que se faz imprescindível que os homens aceitem e compreendam a importância da energia feminina que existe dentro deles, pois dessa forma deixarão de serem vítimas das mulheres que usam seu poder de sedução sexual para manipulá-los, consumi-los e descartá-los, como também as mulheres devem aprender a fazer uso de sua energia masculina, para que se tornem verdadeiramente independentes e autônomas.

Se o Tesão promove a união física entre os seres, de forma instintiva e fria, o Amor promove a união a nível de alma, proporcionando uma intimidade que vai além de dois corpos que se juntam sem suas roupas.  Estamos falando de uma intimidade absoluta, de dois seres que possivelmente tenham estado juntos em outras encarnações, e que são cúmplices antes de serem parceiros.  Claro que no mundo da 3D, isso ainda exige muitas longas conversas para poder conquistar a confiança um do outro.  Mas para almas com esse nível de intimidade, o que nunca vai faltar é assunto!  Sem contar que mesmo no olhar, no toque, no abraço ou no beijo, ainda estarão trocando muita informação entre si, sem a necessidade de palavras. 

Porque é disso que se trata esse Amor Incondicional: uma energia que vai unindo cada vez mais.  Porque, no final das contas, somos todos UM!



segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Sexualidade e Espiritualidade

Sei que muitos irão torcer o nariz para essa associação.  No geral, uma pessoa espiritualizada quer distância de sequer pensar em sexo, por considerar isso algo pecaminoso, sujo, desperdício de energia, luxúria, degradante...  Não faltam adjetivos para depreciar a sexualidade.

Já quem tem uma sexualidade desbloqueada, solta, não quer nem pensar em espiritualização por considerar isso coisa de religião, até por não acreditarem na existência de Deus ou mesmo do espírito.  Só querem saber de dinheiro, de luxo, de carros, de belas casas, talvez mansões... Ou seja, de coisas absolutamente materiais!

Isso já foi discutido em textos anteriores.  Mas o fato é que essa não é uma associação nova, e nem inédita!

O Tantra é uma filosofia nascida a milhares de anos atrás que mostra de que forma as duas coisas se associam na mais perfeita harmonia.  Mas também não pretendo aqui me ater a esse assunto.  Pretendo abordar o assunto de uma forma mais contemporânea, mais "ocidental", e mais sintonizada com o novo paradigma da Nova Era que já se faz presente.


Antes de mais nada, é importante esclarecer que quando falo de espiritualidade, não estou falando de um pensamento limitante de nenhuma religião vigente, mas pura e simplesmente de uma consciência mais elevada da vida, de ter a consciência de que somos Espíritos vivendo uma experiência na carne, e que um dia chegaremos ao término de nossas jornadas encarnatórias, retornando assim ao mundo astral de onde todos nós viemos.

Mas isso não significa que tenhamos de ignorar toda a materialidade a nossa volta e viver uma vida voltada completamente para o espírito, com o único objetivo de estar preparado para o retorno ao dito "Paraíso".

Por que não trazemos o "Paraíso" para o momento presente?  Por que esperar por um mundo utópico, se podemos tornar esse mundo um lugar de mais prazer, mais Amor, Paz e Harmonia?  Por que temos que "matar" nossos corpos e ignorar nossa natureza sexual para sermos espiritualizados?  E até quando iremos nos iludir e sofrer com materialidades perecíveis que não nos trazem uma felicidade duradoura, mas apenas uma satisfação temporária?

Por que continuar ignorando nossa filiação Divina em nome de uns poucos que querem nos convencer que são "mais Divinos" e que são os únicos capazes de falar com Deus?  E que Deus é esse que se diz ser amoroso, se no meio tempo está sempre julgando e condenando?  Onde está o Amor Incondicional em um ser que insiste em ser tirano e punitivo?

Por fim, não do texto, quero deixar só mais uma pergunta para reflexão: Por que um ato que é capaz de gerar uma nova vida física, e até mesmo uma nova consciência, no caso de ser feita com verdadeiro Amor Incondicional, algo tão enormemente sagrado, é considerado pecado?  Por que considerar o sexo um ato sujo e feio, se ele pode ser uma expressão plena de Amor Incondicional entre os seres?

Sexo é um gerador de energias, ao contrário do que se divulga, daquilo que constitui a crença de muitas correntes budistas tradicionais.  Gerador de energia, de vida, de prazer, de vitalidade, de luz, de saúde, de alegria, de plena satisfação.  Mas, ao contrário do que foi ensinado por essa sociedade distorcida, corrompida e insana, não deve ser o objetivo dentro de uma relação, indiferente se entre pessoas de sexo oposto ou do mesmo sexo.  Por mais que a libido seja parte da nossa natureza física original, não devemos nos guiar pura e simplesmente pelo motor sexual para iniciar uma nova relação amorosa, do contrário será mais uma relação destrutiva que irá nos proporcionar mais dívidas cármicas.

Antes de mais nada, faz-se necessário abandonarmos a idéia também enlouquecida de que somos metades, e precisamos de alguém que nos complete.  Isso nunca deu certo!

Somos seres inteiros e soberanos, portanto podemos viver nossas vidas por conta própria, sem necessidade de um parceiro sexual, se assim for a escolha de cada um.  Como já abordado em textos anteriores, podemos ser nossos melhores amantes, e dessa forma podemos descobrir de forma autônoma quais nossas zonas erógenas, nossos pontos mais sensíveis de nossos corpos, de que forma gostamos de ser tocados, que tipo de carícias mais nos agradam.  Isso tudo nos possibilita auto-conhecimento e uma comunicação muito preciosa com nosso corpo, nossas células, nossa própria energia.  Não disse que não havia desperdício?

E quando nos amamos dessa forma e irradiamos essa energia amorosa a nossa volta, atraímos pessoas para nosso campo magnético de força atrativa, no geral pessoas que vibram na mesma freqüência que a nossa.  E quando isso acontece...  É muito possível que você vá encontrar alguém que irá te encantar e te seduzir, mas não pelo seu magnetismo sexual, mas por força do magnetismo espiritual!  Quem sabe uma Alma Gêmea?!

Quando somos conscientes de que somos espíritos encarnados, que somos seres criadores, conectados diretamente à Fonte do tudo que É, e passamos a explorar esse mundo espiritualizado, nós passamos a vibrar em uma freqüência muito mais alta, e isso levará a atrair outros seres que estejam vibrando na mesma intensidade e freqüência, pois quem não quer ficar perto de alguém que é puro Amor Incondicional e reflete isso para todos os lados?!

Percebem agora a importância de se espiritualizar?

O sexo passa a ser uma conseqüência nesse contexto, não o objetivo principal.  Quando duas pessoas se encontram e se identificam espiritualmente, e existe também a coincidência de se sentirem atraídas sexualmente, o sexo irá ocorrer como uma expressão natural do carinho que essas duas pessoas alimentam entre si, e constituirá uma fonte de luz incomensurável!

Estamos aqui falando de duas pessoas que não precisam guardar segredo entre si, que dividem gostos semelhantes, compartilham uma mesma visão da vida, sentem a vida da mesma forma, tem valores semelhantes, senão iguais.  Podem ter pequenas diferenças, mas essas diferenças constituem uma oportunidade de crescimento e troca, e não questões que provoquem a separação ou a discórdia.

Esses seres compartilham entre si seus medos, suas angústias, suas histórias de vida nos mínimos detalhes, e é isso que constitui a verdadeira intimidade.  Uma intimidade que vai além de dois corpos despidos de suas roupas, mas de duas almas que se desnudam por inteiro.  E é nessa revelação contínua e ininterrupta que o relacionamento cresce, floresce, se intensifica e se fortalece.

E então não serão Um, mas Três, pois cada um sempre irá manter a sua individualidade, pois não há Amor verdadeiro se não existe respeito à liberdade de cada um, e o relacionamento dos dois será uma terceira entidade, um ponto de criação de algo totalmente novo!

Esses dois seres, no desenvolvimento de sua relação, irão naturalmente sentirem a necessidade de se tocarem, de se abraçarem, de se beijarem, de segurar as mãos, de estreitarem cada vez mais essa troca até o ponto de trocarem orgasmos entre si. 


Até o ponto de criarem uma, ou várias novas vidas, pois constituem Criadores de uma mesma Fonte, Deus Pai/Mãe!